Microcefalia: O que é? Qual a causa? O que fazer?

Em 23.11.2015   Arquivado em Mundo Mãe

O Brasil está entrando em estado de alerta, principalmente no nordeste, onde os casos de microcefalia parecem estar sem controle –  399 casos notificados este ano , sendo que em 2014 foram confirmados 12 casos em todo o país. Mas o que é, qual a causa desse surto e o que fazer? Confira aqui:

A doença

desenho mostrado diferença dos cranios

Foto: Internet

A microcefalia é uma má-formação do crânio do bebê, ela é uma doença grave, onde a criança precisará de cuidados constantes e não tem cura. Ela pode ser primária, quando diagnosticada ainda dentro do útero, pois os ossos do crânio se fecham durante a gestação, até o 7º mês, ou secundária, quando os ossos se fecham no final da gravidez ou após o nascimento do bebê.

A criança com microcefalia pode apresentar atraso mental, déficti intelectual, autismo, epilepsia, rigidez nos músculos, convulsões e/ou paralisia, por isso precisa de acompanhamento médico constante, como fisioterapia para não piorar o quadro de saúde. São afetadas tantas áreas do corpo, porque o cérebro precisa de espaço para o desenvolvimento e, com o fechamento precoce, esse espaço é inexistente em bebês microcefálicos.

 

A causa

mosquito transmissor da dengue e zika

Foto: Internet

O motivo de tantos casos em pouco tempo, ainda é desconhecido e a resposta não é conclusiva. Existem suspeitas que o vírus Zika (pertence a mesma família do mosquito da dengue, Aedes Aegypti, porém é menos agressivo) tenha influência na má-formação genética, mas ainda está em fase de estudo a relação dos dois. A suspeita deu-se quando retiraram o líquido amniótico, que envolve o bebê na gestação, de duas grávidas da Paraíba, e os resultados apresentaram o microorganismo.

 

Alerta

O Governo Federal está criando uma força-tarefa com 17 ministérios (que também atuaram contra a gripe A) para combater o avanço dos casos no país. Entre os ministérios estão o Ministério da Saúde, as Forças Armadas e a Defesa.

“Fizemos à OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) um pedido para que tivéssemos apoio internacional. Solicitamos que outros especialistas de fora nos apoiem, não por que não temos especialistas no Brasil. Em se tratando de uma situação absolutamente nova do ponto de vista científico, que pode representar tipo de risco para outros países, achamos importante essa cooperação”, disse o diretor do departamento de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch.

Uma recomendação importante que o Ministério da Saúde deu para as mulheres que planejam engravidar nos próximos meses e que estão na área de risco (região nordeste), é que adiem o plano até terem a certeza da relação do vírus com a doença e até o surto estar sob controle.

Se proteja

gravida passando repelente

Se você está gravidinha ou pensando em engravidar, atenção! Aqui, no estado de São paulo, não temos nenhum caso confirmado, mas o zika vírus circula por aqui e em mais outros 13 estados (Rondônia, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Paraná), por isso, ter atenção e cuidado nunca é demais.

  • Use repelente. -> Os repelentes vendidos nas farmácias, drogarias e mercados, em sua maioria, são aprovados para gestantes;
  • Proteja as janelas do seu lar com redes próprias para impedir a entrada de insetos. -> Elas não são caras e você acha em loja de material de construção, como C&C, Telhanorte, Leroy Merlin;
  • Não deixe água parada em recipientes, e cubra bem lugares que armazenam água, como caixas d’água por exemplo. -> Sempre é bom lembrar dos métodos para o vírus não se propagar.

Ainda não há vacinas ou remédios para combater esse microorganismo, por isso devemos todos fazer a nossa parte e impedir o avanço do mosquito Aedes Aegypti, que transmite o zika vírus, a dengue e a chikungunya.

Beijos e ótima semana!

<3