Dia da Gestante: Bepantol® Baby sugere dicas para o período da gestação e pós-parto

Em 16.08.2017   Arquivado em Gravidez

mamãe antenada grávida

O Dia da Gestante é comemorado em 15 de agosto. Trata-se de uma data para homenagear quem gera vida e conscientizar sobre a importância de a mulher cuidar da saúde também nesta fase, em razão de seu bem-estar e do desenvolvimento saudável da criança que está gerando.

(mais…)

Gravidinha, vamos checar sua caderneta de vacina?

Em 01.02.2016   Arquivado em Mundo Mãe

Sim, a sua! Você sabia que com as suas vacinas em dia seu bebê também estará protegido nos primeiros meses de vida? Quem nos dá mais detalhes é o ginecologista e obstetra Antonio Paulo Stockler, especialista pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). Confira:

 

Mamãe Antenada: Qual a importância da gestante estar em dia com as vacinas?

Dr. Antonio Stockler: “O sistema imunológico das gestantes responde menos intensamente às infecções para não agredir os antígenos próprios do feto, por isso, estando em dia com as vacinas, a gestante não protege só a si mesma como o bebê ainda no útero. A produção de anticorpos pela mãe ao receber uma vacina pode ser transferida pela placenta e pelo leite, ajudando na proteção dos recém-nascidos.”, afirma.

 

Mamãe Antenada: Quais vacinas são essas que protegem mãe e bebê?

Dr. Antonio Stockler: “ As vacinas são:

       Gripe, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde: A/H1N1; A/H3N2 e influenza B;

       Tétano;

       Difteria;

       Coqueluche;

       Hepatite B – essa deve ser avaliada a imunidade, uma vez que esta vacina entrou há poucos anos no calendário vacinal do Ministério da Saúde para todos os recém-nascidos, e, portanto, ainda é frequente encontrar muitas mulheres grávidas que não a receberam na infância e que deverão recebê-la neste momento”, alerta o ginecologista obstetra.

 

Mamãe Antenada: Os cuidados da mãe com a vacina se encerram quando o bebê nasce?

Dr. Antonio Stockler:   “Não. Após o nascimento do bebê, é preciso também tomar algumas vacinas, pois os anticorpos da mãe são transferidos para o bebê por meio da amamentação. Veja algumas delas:

 

       DTPA ou DT (protege contra tétano, difteria e coqueluche; deve ser tomada caso não tenha sido aplicada na gravidez);

       Gripe (se não tiver tomado na gravidez);

       Hepatite A;

       Hepatite B;

       Meningite;

       Tríplice viral (protege contra sarampo, rubéola e caxumba);

       Varicela (deve ser tomada pelas mães que não tiveram catapora).

 

Consulte seu médico para saber mais detalhes sobre a vacinação, pois ele a orientará sobre a necessidade de cada imunização.

 

Beijos e até mais! ♥ 

 

Dr. Antonio Paulo Stockler, ginecologista obstetra, médico ginecologista obstetra do Hospital Universitário Antônio Pedro (UFF), do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), professor auxiliar da disciplina de Saúde da Mulher da Faculdade de Medicina da Universidade Estácio de Sá, com consultório particular no Jardim Botânico (RJ). Stockler é especialista pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), membro da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (Sgorj), autor de livros na área e palestrante de diversos congressos nacionais e internacionais no setor. O especialista é mestre em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ e está apto a falar sobre os temas que envolvem a área, tais como: pré-natal, parto, laqueadura, mioma, cistos e tumores de ovário, planejamento familiar, menopausa, incontinência urinária, prolapsos genitais etc.

Microcefalia: O que é? Qual a causa? O que fazer?

Em 23.11.2015   Arquivado em Mundo Mãe

O Brasil está entrando em estado de alerta, principalmente no nordeste, onde os casos de microcefalia parecem estar sem controle –  399 casos notificados este ano , sendo que em 2014 foram confirmados 12 casos em todo o país. Mas o que é, qual a causa desse surto e o que fazer? Confira aqui:

A doença

desenho mostrado diferença dos cranios

Foto: Internet

A microcefalia é uma má-formação do crânio do bebê, ela é uma doença grave, onde a criança precisará de cuidados constantes e não tem cura. Ela pode ser primária, quando diagnosticada ainda dentro do útero, pois os ossos do crânio se fecham durante a gestação, até o 7º mês, ou secundária, quando os ossos se fecham no final da gravidez ou após o nascimento do bebê.

A criança com microcefalia pode apresentar atraso mental, déficti intelectual, autismo, epilepsia, rigidez nos músculos, convulsões e/ou paralisia, por isso precisa de acompanhamento médico constante, como fisioterapia para não piorar o quadro de saúde. São afetadas tantas áreas do corpo, porque o cérebro precisa de espaço para o desenvolvimento e, com o fechamento precoce, esse espaço é inexistente em bebês microcefálicos.

 

A causa

mosquito transmissor da dengue e zika

Foto: Internet

O motivo de tantos casos em pouco tempo, ainda é desconhecido e a resposta não é conclusiva. Existem suspeitas que o vírus Zika (pertence a mesma família do mosquito da dengue, Aedes Aegypti, porém é menos agressivo) tenha influência na má-formação genética, mas ainda está em fase de estudo a relação dos dois. A suspeita deu-se quando retiraram o líquido amniótico, que envolve o bebê na gestação, de duas grávidas da Paraíba, e os resultados apresentaram o microorganismo.

 

Alerta

O Governo Federal está criando uma força-tarefa com 17 ministérios (que também atuaram contra a gripe A) para combater o avanço dos casos no país. Entre os ministérios estão o Ministério da Saúde, as Forças Armadas e a Defesa.

“Fizemos à OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) um pedido para que tivéssemos apoio internacional. Solicitamos que outros especialistas de fora nos apoiem, não por que não temos especialistas no Brasil. Em se tratando de uma situação absolutamente nova do ponto de vista científico, que pode representar tipo de risco para outros países, achamos importante essa cooperação”, disse o diretor do departamento de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch.

Uma recomendação importante que o Ministério da Saúde deu para as mulheres que planejam engravidar nos próximos meses e que estão na área de risco (região nordeste), é que adiem o plano até terem a certeza da relação do vírus com a doença e até o surto estar sob controle.

Se proteja

gravida passando repelente

Se você está gravidinha ou pensando em engravidar, atenção! Aqui, no estado de São paulo, não temos nenhum caso confirmado, mas o zika vírus circula por aqui e em mais outros 13 estados (Rondônia, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Paraná), por isso, ter atenção e cuidado nunca é demais.

  • Use repelente. -> Os repelentes vendidos nas farmácias, drogarias e mercados, em sua maioria, são aprovados para gestantes;
  • Proteja as janelas do seu lar com redes próprias para impedir a entrada de insetos. -> Elas não são caras e você acha em loja de material de construção, como C&C, Telhanorte, Leroy Merlin;
  • Não deixe água parada em recipientes, e cubra bem lugares que armazenam água, como caixas d’água por exemplo. -> Sempre é bom lembrar dos métodos para o vírus não se propagar.

Ainda não há vacinas ou remédios para combater esse microorganismo, por isso devemos todos fazer a nossa parte e impedir o avanço do mosquito Aedes Aegypti, que transmite o zika vírus, a dengue e a chikungunya.

Beijos e ótima semana!

<3