Um desafio para iniciar essa semana e terminar 2015 feliz com seu companheiro

Em 30.11.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Oi, mamães antenadas! ♥

Vamos começar a semana de um jeito diferente hoje? Já tinha um post programado, mas ontem, pensando em algumas coisas, quis propor algo para mim e para vocês para começarmos a fazer hoje e terminar 2015 bem e iniciar 2016 melhor ainda – com nossos companheiros!

Antes de fazer a proposta, quero compartilhar um texto que li:

“Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.

Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou  insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.

Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.

Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.

Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.

Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado.

E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.

Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.

Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.”

Diego Engenho Novo

E aí, casou com alguém assim? Ou melhor, você é uma pessoa para casar ou estar casada?

É muito fácil desgastar um relacionamento nesse estresse de casa, trabalho, educação, dinheiro… rotinas! Por isso, hoje gostaria de fazer o desafio a lembrar do 1º mês de namoro, aquele frio na barriga da troca de mensagens (pode ser por carta que é ainda mais romântico) ou de ouvir a buzina do carro: “ele chegou!”. Relembre o que mais te chamava atenção nele, sorriso, olhar, gestos… E por que queria passar o resto da sua vida ao lado dele.

Essas recordações tem que estar sempre presente – em pensamentos e na prática – no nosso dia-a-dia. É comum o desgaste ofuscar esses “detalhes”, mas o amor, a cumplicidade, a amizade e o respeito são regados diariamente.

Então vamos fazer um trato? Vamos viver para fazer nosso companheiro feliz? Isso mesmo. Acredito que ele sendo feliz, não temos como não ser também. Faça um agrado, uma comida e/ou sobremesa favorita, compre uma camiseta ou aquele tão esperado tênis para ele jogar bola (presente sem data mesmo!). E você? Você fica bonita, pra você e pra ele. Se arrume e se perfume quando ele estiver pra chegar. Cuide-se! Cuide do que é seu! <3 É certo que ele irá perceber e tentará fazer o mesmo por você.

Você está solteira? Não tem problema! Se ame, se conheça, se descubra! Um companheiro não preenche um vazio, mas faz a felicidade transbordar. Se encontre primeiro e logo o cara certo te encontrará!

thiago e laís

Pensei em colocar fotos de casais de “propaganda de margarina”, mas vai contra a idéia do blog: “posts reais para pessoas reais com fotos reais”. Então para ilustrar, sou eu e meu marido na foto. Casei para fazê-lo feliz e ele se casou para me fazer feliz.

Mais amor essa semana, por favor! Já temos muitas notícias tristes e não vamos deixar isso destruir nosso lar.

Beijos e até amanhã com receitinha! 🙂

Voltando de viagem…

Em 01.10.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Sempre sinto uma moleza quando volto de viagem e, pra piorar dessa vez, peguei uma virose! Mas graças a Deus existem os amigos e a mamãe, né? rs

Acordar de madrugada para viajar de avião com criança pequena não dá certo – definitivamente – para mim. Pedro não é daqueles bebês que dormem em qualquer lugar quando tem sono, muito pelo contrário, acho que ele pensa “se eu dormir, posso perder algo, então vou agitaaar!”, seja no aeroporto, mercado, igreja, casa das avós então nem preciso falar, né? Por isso, fico mais cansada que o normal ajudando ele a gastar energia, pelo menos pra dormir no avião. haha

Com algumas experiências em vôos, Pedro já aprendeu que assim que decolamos os comissários já agilizam a comida e ele fica quietinho até ela chegar (se tiver a tv fica mais quietinho ainda). Assim que chega ele come (o que pode) e depois já se arruma para dormir. Pronto, assim foi o vôo da ida a Manaus! Como o vôo da volta foi em um avião mais apertado, sem entretenimento, tivemos um pequeno estresse até o sono chegar, mas foi só ficar em pé por uns 5 minutos que ele chegou. Mas, pra quem é acostumado a dormir largado no colchão o sono teve algumas turbulências… Mas até que dormiu bem das 8h45 as 11 horas. Ufa! 🙂

Chegamos em SP, fomos almoçar na casa da Bisa Dalti, depois passamos na casa da titia Glau para deixar alguns presentinhos da vovó Nelly e fomos para a nossa casinha. Ah, lar doce lar! <3 Foi aí que a virose me atacou. Liguei para a vizinha-amiga, Manu, que me socorreu com o Pedro e com meu sono e minha mãe apareceu para salvar a minha madrugada. Que delícia! hahaha

Já sarei, já revi quase todo mundo (faltam ainda 2 sobrinhas lindas) e estou matando a saudades de Jundiaí. Manaus foi lindo, descansamos com a família, curtimos com os amigos que foram de férias para lá e Pedro até fez sua 1a trilha para cachoeira! <3 (vai render um post sobre esse dia)

Os posts voltarão aqui normalmente e amanhã, 2, tem mais uma dica sobre como economizar em festas. 🙂

Beijooos!

Sua casa é para a família ou visita?

Em 11.05.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Home-Sweet-Home-bydivulgacao 

Semana passada, li no blog da minha amiga, Carol Godoy, (Decorando Sem Grana) a seguinte frase: “… assim como tirar da caixa aquele jogo de jantar que você guarda para a visita. Nossa família são as pessoas que devem ser sempre muito bem vindas à mesa, por isso nada de guardar o melhor para a visita e servir o jantar para família com copos de requeijão, hein?” e pensei no que tenho feito em casa. 

Pois bem, confesso que quando recebo visita tomo mais cuidado com o preparar do jantar, mesa, utensílios, e já tinha percebido essa minha falha, mas agora prometi a mim mesmo que mudarei! 🙂 

Tenho jogos de jantar guardados para alguma ocasião especial que nunca chega, jogos de talheres, o famoso sousplat que a Carol falou no blog e eu NUNCA USEI! Sério! Acho lindo, o meu é estilo rústico e simplesmente, nunca usei, nem quando fiz jantar a luz de velas e tal… está guardadinho esperando alguma ocasião que eu mesma nunca criei. 

Como você trata a sua própria família? Já parou para pensar nisso? No começo do casamento temos aquele zelo especial e aos poucos deixamos a rotina e os problemas influenciarem o nosso lar. 

Ontem a noite, em minha igreja, o evangelista Israel Trajano, citou um exemplo de um carpinteiro que antes de entrar em casa passava a mão em uma árvore e ao sair para o trabalho no dia seguinte, passava a mão novamente. Esse ato era para deixar os problemas/ansiedade fora do lar, e no dia seguinte ele os pegava novamente para resolver durante sua jornada de trabalho e, com o tempo que passou, os problemas estavam menores e ele com a mente mais tranquila para os resolver. 

Com a pressão imposta nos dias de hoje temos que ter discernimento para não deixar entrar em casa algo que não vai agregar. Nossa família é o nosso maior bem! <3 

Esse post foi falando de casa/família, mas semana que vem prometo voltar aqui com uma dica/receita legal, onde finalmente usarei o sousplat! haha 

Que Deus nos abençoe nessa semana!

Beijos!