Biovech é aliado das grávidas e bebês para combater o Aedes Aegypti

Em 29.01.2016   Arquivado em Mundo Mãe

Não é mais sonho. Já existe no mercado, um produto capaz de eliminar, em 24 horas, o foco do mosquito Aedes Aegypti, aprovado pela Anvisa e inofensivo para gestantes e bebês. ♥

O primeiro larvicida biológico para uso doméstico não deixa qualquer tipo de resíduo tóxico, sendo inofensivo a seres humanos, animais domésticos, aves, peixes e plantas… Ou seja, é um produto amigo das gestantes e bebês (que são nossa maior preocupação, já que eles possuem uma alta restrição dos produtos tóxicos que são comercializados para combater o mosquito), mais uma alternativa para ajudarmos o País a se livrar desse mosquito transmissor do Zika Vírus, Dengue e Chikungunya que está nos assustando.

“As soluções biológicas até hoje só estavam disponíveis por meio de agentes de saúde pública e isso não permitia que pudéssemos utilizar esta tecnologia diretamente no combate a esse surto do mosquito”, avalia o Médico e Professor da PUCRS, Fernando Kreutz, pesquisador à frente do primeiro larvicida biológico para uso doméstico aprovado pela Anvisa.

O Biovech é resultado de 10 anos de estudos e pesquisas da empresa de biotecnologia e nanotecnologia Neovech, do Grupo FK Biotecnologia – holding de pesquisa, desenvolvimento e inovação, que atua nas áreas de biotecnologia e nanotecnologia. “Isso quer dizer que, a partir de agora, qualquer pessoa terá acesso a um larvicida para o uso doméstico, com a certeza de que não está afetando a sua saúde. O controle do mosquito é a maneira mais eficiente para conseguirmos vencer esta verdadeira guerra que estamos travando no país”. complementa Fernando Kreutz, que também é diretor do Grupo FK Biotecnologia.

O Biovech é o primeiro produto da classe de larvicidas biógicos de uso doméstico disponível no Brasil. Além do efeito de matar a larvas tem uma ação preventiva, pois continua a funcionar em locais que são de difícil controle, como nos jardins e pontos de casas onde acumula-se água. A presença do produto faz com que as larvas morram durante seu processo de amadurecimento e não se transformem em mosquitos adultos. Além da contaminação entre pessoas, quando um mosquito pica alguém já contaminado e depois outra pessoa, transmitindo assim o vírus, existe a possibilidade da fêmea do mosquito transmitir virus diretamente para os seus ovos, criando desta forma uma nova geração de insetos já contaminados. “O controle dos focos de criação de mosquitos é primordial para o controle da Zika, Dengue e chikungunya”.

Sua fórmula é produzida utilizando a bactéria Bacillus thuringiensis, variedade israelenses (BTI), que contém os cristais da proteína Cry. Uma vez ingeridos pela larva do mosquito, os cristais provocam a sua morte, evitando que ela se torne um mosquito adulto transmissor de doenças. “Ou seja, ao aplicar o produto nas áreas de risco, a larva ingere essa proteína e morre,” explica a Doutora em Biotecnologia, Ana Letícia Vanz, coordenadora do Projeto Biovech. A tecnologia mata a larva do mosquito em até 24h.

Onde encontrar

   O produto está disponível nas redes de supermercado Walmart, no Sudeste, Bompreço e Hiper Bompreço, no Nordeste e no Rio Grande do Sul, é possível adquirir o Biovech no Zaffari/Bourbon.

produto biovech

Sobre a Neovech

Empresa do Grupo FK Biotecnologia, a Neovech chegou ao mercado para entregar soluções de alta tecnologia, seguindo a tendência mundial de produtos Bio e Nanotecnológicos que combatam as pragas urbanas.

Sobre o grupo FK-Biotec

Holding de pesquisa, desenvolvimento e inovação, que atua nas áreas de biotecnologia e nanotecnologia. Ao longo de 15 anos de atuação, a FK- Biotec é considerada pioneira no setor de biotecnologia do Brasil. Está à frente de importantes projetos de repercussão global, como da vacina anti-câncer, dos testes imuno-diagnósticos, nano-cosméticos, bio-fármacos e, agora, no lançamento do primeiro larvicida biológico do país para uso doméstico.

   O Grupo FK atua com pesquisadores próprios e através de parcerias com universidades de todo o Brasil, como HC/USP, UNB, PUCRS, UFRGS e Feevale. Conta ainda com o apoio do Finep, CNPQ e Capes.

Bom saber que podemos ficar um pouco mais seguros com esse produto no mercado, né? Afinal, cada um deve fazer a sua parte no combate ao Aedes Aegypti deixando sua casa limpa e segura para todos a sua volta.

Beijos e até mais! ♥

Fonte: Camejo Comunicação Empresarial.

7 casos suspeitos de microcefalia em São Paulo

Em 26.11.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Atenção gravidinhas e tentantes!

Está em análise 7 casos de microcefalia em bebês no estado de SP, sendo 6 diagnosticados ainda no útero e 1 que nasceu com a má formação na última sexta-feira, 20. Todas as mães relataram sintomas típicos do Zika vírus quando já estavam grávidas.

As cidades com as suspeitas são: Guarujá (1 caso), Ribeirão Preto (1 caso), São Vicente (2 casos) e a capital (2 casos). O bebê que nasceu com a má formação também é de São Vicente e ele e a mãe estão recebendo acompanhamento médico para saberem o nível da microcefalia e também para confirmarem se mãe realmente teve dengue, zika ou chikungunya, uma vez que as 3 doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes aegytip, por esses motivos eles ainda não tiverem alta.

entenda o que é microcefalia - imagem explicativa

Atenção

No post de segunda-feira (leia aqui), foi relatado pelo diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Claudio Maierovitch, um alerta ao país para possíveis casos em diversas cidades e estados, pois ainda é desconhecido o real envolvimento do Zika vírus em doenças, uma vez que os sintomas são mais leves que o da dengue, por exemplo, e não apresentava tanto alerta.

Goiás é o segundo estado a estudar caso de microcefalia e agora casos no estado de São Paulo também estão sendo estudados. “Em princípio, todas as cidades que têm mosquitos podem vir a ter a transmissão do vírus. O mesmo mosquito, o Aedes aegytpi transmite as três doenças: dengue, zika e chikungunya. No entanto, ainda não existem exames confiáveis que permitam identificar a doença. Até porque só é possível identificar a presença do vírus em sua fase aguda”, disse o diretor Maierovitch.

Realmente, ainda não é certo que tantos casos de microcefalia estejam ligados ao Zika vírus, mas durante as pesquisas, entre elas as da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), relataram a presença do microorganismo em todas as mães que tiveram bebês com a má formação, por isso uma atenção especial foi dada ao mosquito.

Todo cuidado é pouco

Os cuidados que todo mundo – não só gestante e tentantes – devem ter com o Zika vírus é a mesma com o mosquito da dengue:  Não deixe água parada em recipientes, Cubra as caixas d’água e outros armazenadores de água, Coloque telas anti mosquito nas janelas, Passe repelente.

Para as gestantes, o Ministério da Saúde ainda recomenda evitar contato com pessoas:  com febre que apresentam vermelhidão pelo corpo, Que tenha alguma doença que pode ser transmitida. Além disso, acompanhamento das consultas do pré-natal são indispensáveis, bem como a realização dos exames solicitados pelos médicos.

A guerra contra a dengue

A dengue ainda é um problema no país inteiro. Tivemos surto em Sorocaba e cidades vizinhas esse ano e estamos longe de acabar com o problema.

No Brasil inteiro, a dengue tem cerca de 1,5 milhão de casos prováveis, o que representa aumento de 176%, em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 555,4 mil casos, segundo o Ministério da Saúde.

Vamos todos fazer a nossa parte! Cuide-se e cuide da sua família!

Beijos! ♥

Apenas 1 conselho às mães! Qual você daria?

Em 10.09.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Há dias venho pensando nos conselhos que me deram desde quando engravidei, e várias coisas me passaram pela cabeça: “aproveite para dormir” :roll:, “pode comer por 2, você está grávida” :shock:, “você já está com 4 meses (16 semanas) e só engordou 1,5kg? Seu bebê vai nascer desnutrido!” :cry:, (sim, eu ouvi isso) e várias outras coisas, mas o mais importante eu achei nos livros que li: “Crie uma rotina para o bebê” :grin:. Essa é a única dica/conselho que dou para as mães e futuras mamães que encontro pelo caminho e me perguntam algo sobre a maternidade.

Várias leituras sobre o universo da maternidade, mundo dos bebês e crianças, educação durante a gestação e o que mais me chamava a atenção era a palavra “rotina”. Comecei a lembrar da minha infância e reparei que até meus 12, 13 anos eu tinha uma rotina em casa: era escola pela manhã, chegava em casa e almoçava, brincava na rua ou prédio (pois ainda éramos crianças e brincávamos de casinha nessa idade rs), depois tinha o café da tarde, assistia televisão, fazia alguma leitura ou jogava video game e, enquanto minha mãe estava fazendo o jantar, era hora do “dever de casa” a famosa lição da escola, pois minha mãe estava ao lado caso precisávamos de ajuda (eu e meu irmão). Depois do jantar, lá pelas 9 horas já estávamos na cama. Todo dia as 21 horas estávamos deitados e dormindo. :eek:. E eu amava!!!! haha Sempre amei dormir e, dormir pouco, até hoje, me deixa muito mal humorada. Claro que nos fins de semana tínhamos exceções e os horários e regras mudavam as sextas a noite, mas voltavam no domingo a noite, após a igreja.

Conversando com meu marido (que também leu alguns trechos que eu separava desses livros), chegamos a conclusão que Pedro teria uma rotina desde a sua chegada em casa e, mesmo ouvindo muitas opiniões contrárias, nos mantivemos firmes e fizemos o teste. Foi a melhor escolha (para nós)! Tenho certeza que isso o ajudou, e muito, ao ser um bebê tranquilo, calmo e regrado, e até por ele dormir sozinho no berço sem embalos e/ou chacoalhos, pois sabia que a hora que eu o colocava no berço era a hora de dormir.

Um bebê não tem noção de tempo e espaço, mas grava bem todas as tarefas que temos e fazemos com ele durante o dia e a noite, logo saberá que após comer é hora de brincar, depois é hora do banho e vem seguido de uma historinha e do sono, por exemplo.

O livro que mais me apeguei durante a gestação inteira e se tenho alguma dúvida corro para ler é “Os segredos de uma encantadora de bebês”de Tracy Hogg com Melinda Blau. Super indico esse livro e digo mais: (haha) tudo que coloquei em prática deu e dá certo até hoje! Vale a pena a leitura!

Não se assuste com tantos post-its. Os rosas são meus lembretes e os verdes as leituras do marido. hahaha

Bom, meu conselho é criar uma rotina para o bebê, pois automaticamente você, a família e a casa também terão uma, e o descanso, ânimo e prazer farão parte do dia-a-dia.

E você, qual dica/conselho daria a uma mãe de primeira, segunda, terceira viagem? Compartilha aqui com a gente! 🙂

Beijos!

Top 4 aplicativos para gestantes

Em 09.07.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Estou notando em meu ciclo social muitas gestantes, bebês e crianças e isso é lindo!!! <3 Por isso, hoje decidi escrever sobre alguns aplicativos que me auxiliaram e muito durante a gravidez! Veja abaixo e, se for seu caso, quem sabe te ajuda? 🙂

  • Cinemama: Sabe aqueles filminhos do crescimento da barriga que vemos por aí? Então, pode ser feito por esse aplicativo, além de registrar nas datas outras coisinhas que você queira! Achei o máximo!!!! (Usado e aprovado!)

         Plataforma: iOS e Android

         Valor: Gratuito

  • Minha Gravidez Hoje: É um aplicativo do Baby Center que mostra, além da evolução do bebê com imagens e vídeos, a mudanças no seu corpo que traz duas de como se sentir melhor com algumas atividades e “Guia de nutrição”. Também tem lembretes das tarefas para você fazer e não se atrasar em nada! (Usado e aprovado!)

         Plataforma: iOS e Android

         Valor: Gratuito

  • Gravidez – Sprout: Ótimo para também ver a evolução do baby! Com imagens em 3D não tem como não ficar impressionado com  semana após semana, além de 2 sessões personalizadas escritas por médicos e mamães “Meu bebê” e “Palavra do médico”. No pacote Premium também tem recursos como diário da gravidez, checklist da mala de maternidade, contador de chutes, cronômetro das contrações e algumas coisinhas mais! 🙂 (Usado e aprovado!)Plataforma: iOS e AndroidValor: Gratuito (básico) e $3,99 Premium (iOS) / R$10,13 Premium (Android)
  • Mommacise: Com esse aplicativo fica fácil manter a forma durante a gravidez e perder os kgs extras depois que o bebê chegar! Colocando a data prevista para o parto ele ja se ajusta com os exercícios mais indicados para o seu estágio da gravidez. (Não cheguei a usar, pois mantive só a caminhada como exercício físico durante a gestação, e quando fui pensar em perder peso depois da chegada do Pedro, já tinha perdido mais do que devia.. rsrs Mas me falaram muito bem dele!) Claro que tudo deve ser feito com acompanhamento médico, ok?!

         Plataforma: iOS

         Valor: $2,99

Esses 3 primeiros foram os que usei fielmente durante a gestação e me auxiliaram muito!… testei uns outros mas não me adaptei e já vi que lançaram mais um moooonte de aplicativos similares no último ano. rs Espero que seja útil pra você como foi pra mim! 🙂

Vou revisar os apps de bebês que tenho e posto numa próxima oportunidade!

Beijos! <3

Página 2 de 512345