Um desafio para iniciar essa semana e terminar 2015 feliz com seu companheiro

Em 30.11.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Oi, mamães antenadas! ♥

Vamos começar a semana de um jeito diferente hoje? Já tinha um post programado, mas ontem, pensando em algumas coisas, quis propor algo para mim e para vocês para começarmos a fazer hoje e terminar 2015 bem e iniciar 2016 melhor ainda – com nossos companheiros!

Antes de fazer a proposta, quero compartilhar um texto que li:

“Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.

Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou  insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.

Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.

Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.

Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.

Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado.

E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.

Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.

Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.”

Diego Engenho Novo

E aí, casou com alguém assim? Ou melhor, você é uma pessoa para casar ou estar casada?

É muito fácil desgastar um relacionamento nesse estresse de casa, trabalho, educação, dinheiro… rotinas! Por isso, hoje gostaria de fazer o desafio a lembrar do 1º mês de namoro, aquele frio na barriga da troca de mensagens (pode ser por carta que é ainda mais romântico) ou de ouvir a buzina do carro: “ele chegou!”. Relembre o que mais te chamava atenção nele, sorriso, olhar, gestos… E por que queria passar o resto da sua vida ao lado dele.

Essas recordações tem que estar sempre presente – em pensamentos e na prática – no nosso dia-a-dia. É comum o desgaste ofuscar esses “detalhes”, mas o amor, a cumplicidade, a amizade e o respeito são regados diariamente.

Então vamos fazer um trato? Vamos viver para fazer nosso companheiro feliz? Isso mesmo. Acredito que ele sendo feliz, não temos como não ser também. Faça um agrado, uma comida e/ou sobremesa favorita, compre uma camiseta ou aquele tão esperado tênis para ele jogar bola (presente sem data mesmo!). E você? Você fica bonita, pra você e pra ele. Se arrume e se perfume quando ele estiver pra chegar. Cuide-se! Cuide do que é seu! <3 É certo que ele irá perceber e tentará fazer o mesmo por você.

Você está solteira? Não tem problema! Se ame, se conheça, se descubra! Um companheiro não preenche um vazio, mas faz a felicidade transbordar. Se encontre primeiro e logo o cara certo te encontrará!

thiago e laís

Pensei em colocar fotos de casais de “propaganda de margarina”, mas vai contra a idéia do blog: “posts reais para pessoas reais com fotos reais”. Então para ilustrar, sou eu e meu marido na foto. Casei para fazê-lo feliz e ele se casou para me fazer feliz.

Mais amor essa semana, por favor! Já temos muitas notícias tristes e não vamos deixar isso destruir nosso lar.

Beijos e até amanhã com receitinha! 🙂

Como é difícil ser mãe solteira!

Em 14.10.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Queria começar esse post de hoje dando parabéns a você que é mãe solteira ou mãe que tem um companheiro, mas que não cumpre o papel de pai. Sim, papel de pai, pois pai não ajuda. Pai é pai e tem tantas obrigações com os filhos quanto as mães.

Meu marido está viajando a trabalho e, praticamente está a 45 dias em outro estado. Desses 45, no máximo 20 dias ficamos juntos, pois fui ao seu encontro, mas depois retornei para casa já que a vida por aqui continua com consulta médica de rotina, compromissos com igreja, entre outros.

Durante esse tempo pude perceber como o Thiago, meu esposo, é pai (e marido). Em nenhum momento desde a gestação até o mês de setembro agora me senti tão exausta como estou. Sim, fiquei exausta de amamentar, exausta por acordar a cada 3 ou 4 horas e não ter horas de sono seguidas como antes, exausta pela mudança de rotina com a chegada do baby, mas essa exaustão de agora é diferente, parece que estou chegando no limite. rs Isso porque o Pedro não dá trabalho, mas está tendo MUITA energia para gastar e parece que quer descobrir o mundo todo em 1 dia e a sinfonia do “não” já está sendo cantada em casa. A rotina do Pedro também teve mudanças nesse período e, ao invés de 2 sonecas por dia, mudou para 1 após o almoço e é aquela coisa: quando vc precisa que o bebê durma bastante, 1 hora de sono é o suficiente para ele, mas quando vc precisa que ele acorde para cumprir um compromisso, aí ele dorme 3 horas seguidas a tarde. haha O pediatra dele também quis mudar horário de janta para ver se ele parava de acordar pontualmente as 4h30 para mamar, então a janta ao invés de ser as 18 é agora as 19 horas (horário que Pedro já estava costumado a ir dormir). Ainda estamos nos adequando… teve dias de dormir direto até as 8, mas teve dias de acordar 3x ao invés de 1 na madrugada. Mas de ontem pra hoje ele dormiu direto e acordou as 9! 13 horas de sono seguidaaaaaas! Uhuuuuullll! Ah, e Pedro também não está mamando mais no peito, outra mudança radical para mim. (fica para outro post o relato)

Não estou reclamando do Pedro ou do marido que está trabalhando fora, só estou relatando uma vida desconhecida para mim até então, mas que é a realidade de muitas mães nesse mundo afora. Café, almoço, janta (todo dia e bem caseira, nada comprado de algum lugar), mercado, feira, pagar contas, arrumar e faxinar casa, lavar e passar roupa, dar atenção ao filho, banho, sair para passear (pois cansa ficar em casa).. ufa! E tudo isso SOZINHA!

Minha mãe me ajudou, minha vizinha-amiga, Manu, ajudou, várias pessoas ofereceram ajuda e eu sei que podia realmente contar com elas, mas ter a presença de um pai é diferente. Com o Thi aqui, por mais que o banho seja rápido, eu TOMO banho. Por mais que eu coma frio e rápido, eu COMO! Sem ele aqui as vezes preferia dormir ao invés de comer. (Não queiram me ver com sono!) Mas, por minha sorte, minha “solteirisse” está com os dias contados!!! 🙂

Por isso, quero parabenizar você que cria, educa e ama um ou mais filhos sozinha, que não delega essa obrigação para mãe, sogra, escola ou outro alguém, mas que faz isso com muito esforço e comprometimento. Parabéns, guerreira!!! Senti na pele que não é fácil!

Thi, amor, volta logo! Te amo muito e obrigada por ser PAI! <3 Estou ansiosa pela sua volta! rs

Pedro com 6 meses e o papai Thiago

Só para descontrair:

Eu, quando Thiago chegar em casa! hahaha

Beijos e até mais!!! 🙂

Voltando de viagem…

Em 01.10.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Sempre sinto uma moleza quando volto de viagem e, pra piorar dessa vez, peguei uma virose! Mas graças a Deus existem os amigos e a mamãe, né? rs

Acordar de madrugada para viajar de avião com criança pequena não dá certo – definitivamente – para mim. Pedro não é daqueles bebês que dormem em qualquer lugar quando tem sono, muito pelo contrário, acho que ele pensa “se eu dormir, posso perder algo, então vou agitaaar!”, seja no aeroporto, mercado, igreja, casa das avós então nem preciso falar, né? Por isso, fico mais cansada que o normal ajudando ele a gastar energia, pelo menos pra dormir no avião. haha

Com algumas experiências em vôos, Pedro já aprendeu que assim que decolamos os comissários já agilizam a comida e ele fica quietinho até ela chegar (se tiver a tv fica mais quietinho ainda). Assim que chega ele come (o que pode) e depois já se arruma para dormir. Pronto, assim foi o vôo da ida a Manaus! Como o vôo da volta foi em um avião mais apertado, sem entretenimento, tivemos um pequeno estresse até o sono chegar, mas foi só ficar em pé por uns 5 minutos que ele chegou. Mas, pra quem é acostumado a dormir largado no colchão o sono teve algumas turbulências… Mas até que dormiu bem das 8h45 as 11 horas. Ufa! 🙂

Chegamos em SP, fomos almoçar na casa da Bisa Dalti, depois passamos na casa da titia Glau para deixar alguns presentinhos da vovó Nelly e fomos para a nossa casinha. Ah, lar doce lar! <3 Foi aí que a virose me atacou. Liguei para a vizinha-amiga, Manu, que me socorreu com o Pedro e com meu sono e minha mãe apareceu para salvar a minha madrugada. Que delícia! hahaha

Já sarei, já revi quase todo mundo (faltam ainda 2 sobrinhas lindas) e estou matando a saudades de Jundiaí. Manaus foi lindo, descansamos com a família, curtimos com os amigos que foram de férias para lá e Pedro até fez sua 1a trilha para cachoeira! <3 (vai render um post sobre esse dia)

Os posts voltarão aqui normalmente e amanhã, 2, tem mais uma dica sobre como economizar em festas. 🙂

Beijooos!

Apenas 1 conselho às mães! Qual você daria?

Em 10.09.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Há dias venho pensando nos conselhos que me deram desde quando engravidei, e várias coisas me passaram pela cabeça: “aproveite para dormir” :roll:, “pode comer por 2, você está grávida” :shock:, “você já está com 4 meses (16 semanas) e só engordou 1,5kg? Seu bebê vai nascer desnutrido!” :cry:, (sim, eu ouvi isso) e várias outras coisas, mas o mais importante eu achei nos livros que li: “Crie uma rotina para o bebê” :grin:. Essa é a única dica/conselho que dou para as mães e futuras mamães que encontro pelo caminho e me perguntam algo sobre a maternidade.

Várias leituras sobre o universo da maternidade, mundo dos bebês e crianças, educação durante a gestação e o que mais me chamava a atenção era a palavra “rotina”. Comecei a lembrar da minha infância e reparei que até meus 12, 13 anos eu tinha uma rotina em casa: era escola pela manhã, chegava em casa e almoçava, brincava na rua ou prédio (pois ainda éramos crianças e brincávamos de casinha nessa idade rs), depois tinha o café da tarde, assistia televisão, fazia alguma leitura ou jogava video game e, enquanto minha mãe estava fazendo o jantar, era hora do “dever de casa” a famosa lição da escola, pois minha mãe estava ao lado caso precisávamos de ajuda (eu e meu irmão). Depois do jantar, lá pelas 9 horas já estávamos na cama. Todo dia as 21 horas estávamos deitados e dormindo. :eek:. E eu amava!!!! haha Sempre amei dormir e, dormir pouco, até hoje, me deixa muito mal humorada. Claro que nos fins de semana tínhamos exceções e os horários e regras mudavam as sextas a noite, mas voltavam no domingo a noite, após a igreja.

Conversando com meu marido (que também leu alguns trechos que eu separava desses livros), chegamos a conclusão que Pedro teria uma rotina desde a sua chegada em casa e, mesmo ouvindo muitas opiniões contrárias, nos mantivemos firmes e fizemos o teste. Foi a melhor escolha (para nós)! Tenho certeza que isso o ajudou, e muito, ao ser um bebê tranquilo, calmo e regrado, e até por ele dormir sozinho no berço sem embalos e/ou chacoalhos, pois sabia que a hora que eu o colocava no berço era a hora de dormir.

Um bebê não tem noção de tempo e espaço, mas grava bem todas as tarefas que temos e fazemos com ele durante o dia e a noite, logo saberá que após comer é hora de brincar, depois é hora do banho e vem seguido de uma historinha e do sono, por exemplo.

O livro que mais me apeguei durante a gestação inteira e se tenho alguma dúvida corro para ler é “Os segredos de uma encantadora de bebês”de Tracy Hogg com Melinda Blau. Super indico esse livro e digo mais: (haha) tudo que coloquei em prática deu e dá certo até hoje! Vale a pena a leitura!

Não se assuste com tantos post-its. Os rosas são meus lembretes e os verdes as leituras do marido. hahaha

Bom, meu conselho é criar uma rotina para o bebê, pois automaticamente você, a família e a casa também terão uma, e o descanso, ânimo e prazer farão parte do dia-a-dia.

E você, qual dica/conselho daria a uma mãe de primeira, segunda, terceira viagem? Compartilha aqui com a gente! 🙂

Beijos!

Página 2 de 41234