Quadradinhos de Banana para sobremesa!

Em 27.10.2015   Arquivado em Alimentação

Oie!!! Estou de volta com mais uma receitinha prática e saborosa para nossos bebês!

Quem por aí gosta de banana?! 😀 E de aveia? Então vamos misturar os dois e ter um lanchinho nutritivo? A dica eu já dei aqui no blog tempos atrás e, como é gostosa, vale a pena relembrar. Quem compartilhou a receita comigo foi minha amiga Stefany Lino, autora do Instagram @Universo_Materno, de Natal/Rio Grande do Norte.

Quadradinhos de banana:

Ingredientes:

  • 1 banana
  • 3 colheres de Aveia em Flocos ou Farelo de Aveia

Modo de preparo:

  • Amasse a banana e misture com as 3 colheres de aveia em flocos ou farelo de aveia;
  • Coloque numa forma untada com margarina e aveia em flocos ou farelo de aveia;
  • Pré aqueça o forno em temperatura média e coloque a forma com a mistura dentro;
  • Em poucos minutos (cerca de 8 a 10 minutos) está pronto para cortar os quadradinhos e se deliciar.

Fácil e prático não?

Aqui em casa Pedro é fascinado por banana e aprovou a receita da “tia”. 🙂 Olhem a foto de como ficou nosso lanchinho!

fácil, rápido, nutritivo e gostoso!

Fácil, rápido, nutritivo e gostoso! (tem bastante, pois comi com o Pedro)

Você sabia que a banana é rica em fibras, potássio e vitaminas C e A e, aproximadamente, 70% do fruto é composto por água? Já a aveia é considerada um alimento funcional para nosso organismo, rica em fibras, vitaminas B1, B3 e E, além dos minerais como zinco, ferro, cobre, magnésio e selênio e também em proteínas! Ufa!!! Já pensou esses 2 alimentos juntos o bem que não fazem para nossa saúde? Então, coma esse lanchinho junto com o baby, pois somos “O exemplo”. 🙂

Se vocês fizerem em casa, me contam se gostaram? 🙂

Beijos e até mais!!!

Apenas 1 conselho às mães! Qual você daria?

Em 10.09.2015   Arquivado em Mundo Mãe

Há dias venho pensando nos conselhos que me deram desde quando engravidei, e várias coisas me passaram pela cabeça: “aproveite para dormir” :roll:, “pode comer por 2, você está grávida” :shock:, “você já está com 4 meses (16 semanas) e só engordou 1,5kg? Seu bebê vai nascer desnutrido!” :cry:, (sim, eu ouvi isso) e várias outras coisas, mas o mais importante eu achei nos livros que li: “Crie uma rotina para o bebê” :grin:. Essa é a única dica/conselho que dou para as mães e futuras mamães que encontro pelo caminho e me perguntam algo sobre a maternidade.

Várias leituras sobre o universo da maternidade, mundo dos bebês e crianças, educação durante a gestação e o que mais me chamava a atenção era a palavra “rotina”. Comecei a lembrar da minha infância e reparei que até meus 12, 13 anos eu tinha uma rotina em casa: era escola pela manhã, chegava em casa e almoçava, brincava na rua ou prédio (pois ainda éramos crianças e brincávamos de casinha nessa idade rs), depois tinha o café da tarde, assistia televisão, fazia alguma leitura ou jogava video game e, enquanto minha mãe estava fazendo o jantar, era hora do “dever de casa” a famosa lição da escola, pois minha mãe estava ao lado caso precisávamos de ajuda (eu e meu irmão). Depois do jantar, lá pelas 9 horas já estávamos na cama. Todo dia as 21 horas estávamos deitados e dormindo. :eek:. E eu amava!!!! haha Sempre amei dormir e, dormir pouco, até hoje, me deixa muito mal humorada. Claro que nos fins de semana tínhamos exceções e os horários e regras mudavam as sextas a noite, mas voltavam no domingo a noite, após a igreja.

Conversando com meu marido (que também leu alguns trechos que eu separava desses livros), chegamos a conclusão que Pedro teria uma rotina desde a sua chegada em casa e, mesmo ouvindo muitas opiniões contrárias, nos mantivemos firmes e fizemos o teste. Foi a melhor escolha (para nós)! Tenho certeza que isso o ajudou, e muito, ao ser um bebê tranquilo, calmo e regrado, e até por ele dormir sozinho no berço sem embalos e/ou chacoalhos, pois sabia que a hora que eu o colocava no berço era a hora de dormir.

Um bebê não tem noção de tempo e espaço, mas grava bem todas as tarefas que temos e fazemos com ele durante o dia e a noite, logo saberá que após comer é hora de brincar, depois é hora do banho e vem seguido de uma historinha e do sono, por exemplo.

O livro que mais me apeguei durante a gestação inteira e se tenho alguma dúvida corro para ler é “Os segredos de uma encantadora de bebês”de Tracy Hogg com Melinda Blau. Super indico esse livro e digo mais: (haha) tudo que coloquei em prática deu e dá certo até hoje! Vale a pena a leitura!

Não se assuste com tantos post-its. Os rosas são meus lembretes e os verdes as leituras do marido. hahaha

Bom, meu conselho é criar uma rotina para o bebê, pois automaticamente você, a família e a casa também terão uma, e o descanso, ânimo e prazer farão parte do dia-a-dia.

E você, qual dica/conselho daria a uma mãe de primeira, segunda, terceira viagem? Compartilha aqui com a gente! 🙂

Beijos!

Não ofereça comida à criança sem a permissão dos pais!

Em 16.06.2015   Arquivado em Alimentação
tips4aplv

Relato de uma mãe que está com o filho internado por causa de uma alergia alimentar

Essa foto está sendo compartilhada ao monte nas redes sociais, e conta um triste relato de uma mãe que está com seu filho internado por causa de uma alergia ao chocolate ao leite que uma vendedora deu a ele. (Oi? Quem deu pra ele?)

Comentando sobre o fato, uma pessoa me falou: “Nossa, a vendedora vai ser sacrificada agora por fazer um ato de bondade? Que criança não gosta de chocolate? Como ela saberia da alergia?” E é exatamente aí que vem a explicação onde ela nem deveria ter dado o doce para o Kauai, garoto que sofre com a intoxicação. Hoje em dia é muito comum crianças terem inúmeros tipos de alergias, inclusive em relação a alimentação e somente pessoas próximas tem o real conhecimento. E outra, pelo que vimos, esse “ato de bondade” foi bastante ruim, não só para Kauai, como para a mãe que se desgasta física e emocionalmente com a situação.

Até quando nós, pais, não vamos ser consultados antes de alguém dar um alimento novo ou comum mesmo aos nossos filhos? (Não estou falando de avós, tios, pessoas íntimas, pois muitos tem o bom-senso e sabe qual a vontade dos pais (assim espero rs)). Quão engraçado (para quem dá) e sadio (para a criança) é experimentar alimentos novos precocemente? Ou ainda,  por quê temos que ficar justificando porque damos ou não damos tal alimento aos nossos filhos? Quando esse julgamento vai acabar?

Xiii, se você for mãe, pai de primeira viagem então…. coitado! Digo isso, porque já me peguei várias vezes me justificando o porque Pedro não experimentou refrigerante, gelatina, leite de caixinha, doces em geral, entre outros e nem muito sal até hoje, pois ele está prestes a completar 1 ano. Para muitos parece que é o fim do mundo, riem da e na minha cara e do marido e falam: “Também já fui assim, mas é besteira! Quero ver se com o segundo será assim.” Poxa, se “você” já foi assim com o primeiro filho, se fulana e ciclano foram assim com o primeiro filho, deixa eu ser também? 🙂 É a minha experiência e com ela saberei se é certo ou apenas besteira seguir as regras com o segundo, terceiro filho.

No meu caso, graças a Deus, Pedro não tem alergias severas como o Kauai. O que acontece com ele é ter irritação na pele e uma assadura mais severa, mas isso não dá mais liberdade aos outros em oferecer alimentos e menos preocupação para mim. Precisamos respeitar o próximo, precisamos respeitar os pais e responsáveis pelas crianças quando optam por uma alimentação que é diferente da sua. Isso também é um gesto de carinho e de bondade. <3

Mais amor, por favor!

Beijos!

*Não consegui ver a foto original e a vericidade do fato, pois o “Tips4APLV” é um grupo fechado no facebook, onde só membros tem acesso. Mas é fato que histórias desse tipo acontecem diariamente. 🙁

Página 1 de 41234