“Crianças com irmãos apresentam menor risco de desenvolver obesidade”, aponta estudo

Em 13.09.2016   Arquivado em Alimentação

Diante de um mercado alimentício diverso, surge aos pais uma forte preocupação em relação à nutrição dos filhos. Para que os pequenos cresçam com saúde, é preciso inserir hábitos alimentares balanceados, com refeições contendo nutrientes variados. Neste cenário, a presença de irmãos de faixas etárias próximas também influencia, sabia?

Imagem Pinteres

Imagem Pinterest


Dr. Rubens Feferbaum, coordenador dos Departamentos Científicos e de Nutrologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), afirma que exemplos nesse momento são importantes, principalmente na hora de sentar à mesa. “Vale lembrar, no entanto, que cada criança possui suas particularidades, o que é perfeitamente normal, mesmo com biotipos diferentes”, avisa.

Em relação ao certo e errado na alimentação dos pequenos, o pediatra ressalta que eles não nascem com manual de instrução e deve-se respeitar a individualidade. Acima de tudo, os hábitos são formados pelos exemplos da cultura familiar. É fundamental estabelecer um padrão de crescimento harmônico, sem excessos ou déficits alimentares, assim como respeitar as características culturais regionais durante a orientação nutricional.

Indicações corretas durante a infância contribuem para o crescimento saudável dos pequenos, assim como uma boa alimentação em casa. “A educação nutricional é importantíssima, tanto na família quanto na escola. Participamos de um projeto onde as crianças contavam com aulas assim e ainda interagiam na composição da merenda, escolhendo ingredientes e a maneira de preparo. O resultado é que os conceitos de boa alimentação são levados até a família, inclusive orientando os pais quando estes não serviam frutas e legumes”, comenta Dr. Rubens. (Na escola do Pedro eles tem essa prática e mesmo com 2 anos, a sala do Pedro é responsável por uma hortinha) 

irmãs orientais 


Avaliação


Estudo publicado na Revista Pediatrics atesta que crianças com irmãos apresentam menor risco de desenvolver obesidade. A pesquisa analisou a massa corporal de 697 crianças desde a introdução alimentar até os 6 anos, e aquelas que presenciaram o nascimento de irmãos tiveram um índice mais equilibrado em relação aos que não viveram a mesma experiência – estes demonstraram mais chances de desenvolver obesidade.

Além disso, a presença de um irmão na vida de uma criança ajuda a combater o sedentarismo, uma vez que podem realizar atividades juntos, o que é preponderante para uma boa qualidade de vida.

É… vou começar a pensar seriamente num irmãozinho(a) ao Pedro. haha

Bacana o texto né? Achei interessante a informação e resolvi compartilhar com vocês! 🙂

Beijos e até mais!!! 

fonte: Acontece Comunicação e Notícias

7 alimentos proibidos antes do 1º ano de vida

Em 16.08.2016   Arquivado em Alimentação

Pois é, são tantas mudanças em tão pouco tempo na fase do bebê, e a alimentação é uma delas. Deixar o bebê degustar, conhecer o gosto de cada fruta, legume pode ser uma aventura! Mas sabia que tem alimentos que são considerados proibidos para bebês que ainda não tem 1 ano de vida? Abaixo conto quais são eles:

7 alimentos proibidos

Sal

Temperar a comida com cebola, alho, temperos naturais dão, sem dúvida, mais sabor ao alimento. O sal intrínseco, já presente nos alimentos, são o suficiente para o paladar do bebê. Além do que, adicionar sal na comida pode mascarar o sabor real do alimento, e queremos que o bebê conheça o sabor do alimento, não é?

Açúcar

O bebê só conhece o gosto do leite, seja materno ou artificial. Ele não tem noção do que é doce ou salgado. Quando perguntei ao pediatra do Pedro como adoçava o suco de maracujá e ele me respondeu para dar puro, para apenas adicionar água, eu fiquei pasma! rs Ri no consultório e falei “coitado do meu filho!!!”  E aí ele me explicou que para o Pedro seria um suco maravilhoso, mas qd eu adicionasse o açúcar, ele perceberia a diferença.  Fato! Pedro toma até hoje suco de maracujá PURO!!! ( e ama!)

Mel

Amostras de mel apresentam bactérias causadoras do botulismo intestinal, e os pequenos não conseguem expeli-las o que pode causar reações adversas como tremedeira, moleza no corpo, e falta de apetite. Essas bactérias apresentam 5% das causas de morte súbita nos bebês. Então é bom evitar!

Cafeína

O café te deixa acordado, correto? Você, um adulto! Imagina o que faz no organismo de um bebê. É super contra indicado, pois pode alterar sono, oscilar humor e irritar estômago e intestino.

Chocolate

Praticamente a mesma coisa da cafeína, além de serem ricos em açúcar e gorduras!! Péssimo para um BEBÊ, não é?

Refrigerante

Gás, açúcares, corantes, pouquíssima concentração de suco da fruta… Se não faz bem nem pra adulto, porque dar a um bebê?

Alimentos que podem ser alérgicos

Frutas vermelhas (morango, amora, entre outros), kiwis, mariscos, leite de vaca,  amendoins, petit suisse industrializados e, em alguns casos particulares a clara do ovo, deve esperar até os 12 meses de vida do bebê para introduzir em sua alimentação.


Consulte o pediatra e tire dúvidas em relação a alimentação do seu filho. Esse é um período gostoso e delicado, pois alguns “erros” cometidos agora, pode trazer consequências nada saudáveis no futuro da criança.

Calma, vai chegar o tempo dela comer guloseimas e até feijoada! rs Aproveite cada momento e curta cada fase do seu bebê! 🙂

Beijos!!! 

Tapioca, o alimento coringa para uma dieta saudável

Em 26.04.2016   Arquivado em Alimentação

Proveniente da fécula de mandioca, a tapioca se tornou um verdadeiro coringa na dieta daqueles que desejam manter uma alimentação saudável. Por não conter glúten, sódio e gorduras,  ela vem ganhando cada vez mais espaço no cardápio dos brasileiros, que normalmente optam pelo alimento em substituição ao pãozinho.

Em Manaus aprendi a comer a tapioca. Lá ela vai com tudo: peixe, carne seca, brigadeiro, doce de leite… hummm e Pedro já é adepto a ela também (claro que da maneira light e saudável rs).

Segundo a nutricionista Flavia Salvitti, do hospital San Paolo, esse é o principal motivo de tantos adeptos, mas existem outros. “A tapioca é um alimento que permite ser enriquecido com vários ingredientes doces e salgados, além de ir bem a qualquer hora do dia”, explica.

Ao contrário do que muitas pessoas dizem, comer tapioca não emagrece, mas, se o recheio for saudável, promove um equilíbrio na dieta e impede que se ganhe peso. “Os recheios mais indicados nesse caso são frutas, queijo branco, peito de peru, brócolis, cenoura e beterraba ralada”, ensina Flavia. Ela acrescenta que o único composto nutricional da iguaria é o carboidrato e indica que o ideal é fazer uma combinação com proteína, lipídeos, vitaminas e sais minerais.  

Apesar de ter vários benefícios, a tapioca deve ser consumida apenas em uma porção diária. De acordo com a especialista, é preciso ter consciência de que o alimento não deve substituir as refeições, mas sim participar delas.

 

Sugestão de receita

Omelete de tapioca com queijo branco tostado

Ingredientes:

03 colheres de sopa de massa de tapioca

01 ovo

Orégano a gosto

02 fatias de queijo branco

01 folha de alface crespa verde

01 folha de alface crespa roxa

03 tomates cereja

Tiras de beterraba

Fatias de cenoura

½ limão siciliano

Sal a gosto

01 colher de chá de azeite

 

Modo de preparo:

Misture muito bem o ovo, o azeite, a farinha de tapioca, o sal e o orégano;

Aqueça uma frigideira antiaderente;

Doure muito bem as fatias de queijo branco, dos dois lados e reserve;

Coloque uma concha da mistura de ovos com tapioca na frigideira;

Depois de dourada, vire e coloque as fatias de queijo branco;

Dobre e sirva com a salada e um molho feito com o suco do limão siciliano, o azeite o sal;

Valor energético: 292 Kcal

Receita cedida pela Casa Maní

Frutas, verduras e legumes de fevereiro

Em 02.02.2016   Arquivado em Alimentação

Tudo está realmente caro, não é? Por isso, comprando frutas, verduras e legumes no período certo pode trazer um pouco de economia para os nossos bolsos! Mas você não sai ganhando apenas no bolso, pois a qualidade e os nutrientes que eles nos trazem são mais fortes e melhores quando estão no tempo certo de colheita.

Então vamos saber o que é bom comprar no mês de fevereiro?

Frutas

  • Abacate
  • Banana (maça, prata e nanica)
  • Coco verde
  • Figo
  • Goiaba
  • Limão
  • Maçã Nacional
  • Maracujá
  • Uva (Itália e Niágara)

Verduras

  • Alface
  • Couve-rabana
  • Moyashi
  • Repolho
  • Repolho roxo

Legumes

  • Pepino
  • Quiabo

Além desses citados, existem alguns produtos no período de “entresafra” que podem estar com preços equilibrados tendo alguma variação devido a alta procura. Por isso, pesquisar os preços de supermercados, hortifrutis e feiras é a palavra chave para economizar.

Sabe de mais algumas frutas, verduras e legumes bons para esse mês? Pode compartilhar aqui com a gente! 🙂

Beijos e ótimo dia!!! 

Página 1 de 212