Feliz “Dia das Mães” (que também é mulher)

Em 08.05.2016   Arquivado em Mundo Mãe

Esse é meu 3º Dia das Mães, sendo o 2º que passo com meu filho nos braços. ♥

Ao me tornar mãe, conheci um outro lado da Laís. Um lado mais carinhoso, mais paciente, bondoso, que sempre está exausto, mas as energias são renovadas pelos pequenos gestos, sorrisos, balbucios de um pingo de gente.

Quando conheci a maternidade, entendi o tamanho sentimento da minha mãe por mim. É um sentimento diferente. Amores diferentes. Sim, é isso: depois da maternidade pude compreender melhor os vários tipos de amor: amor de marido e mulher, de filho e mãe e de mãe para filho. Nada me tira da cabeça que o amor de mãe para filho é o amor mais próximo de Deus para conosco. O amor “Ágape”!

pedro com 1 mes de vida

Pedrinho com 1 mês

É fato que a maternidade te transforma. Nasce uma nova mulher quando  nasce um bebê e o aprendizado não termina nunca. Posso dizer que, diariamente, aprendo coisas com o Pedro, comigo mesmo e com meu marido. E o fato é: de um tempo pra cá esqueci que também sou mulher.

Parece engraçado, mas mês passado ganhei uma bolsa linda do meu cunhado e um dia me arrumei pra sair e, ao invés de arrumar uma bolsa de bebê, eu apenas coloquei minha carteira, necessarie e meu celular. Estranhei a leveza que ela tinha e me senti feliz e realizada ao me olhar no espelho e ver que a bolsa combinava perfeitamente com minha roupa. E não, eu não deixei de amar ou amei menos meu filho por causa disso.

pedro com 5 meses

Pepê com 5 meses

Nesse mesmo dia, sai para um evento em SP, e meu marido me levou até lá aproveitando o caminho do serviço. Fiquei no evento, participei, conheci pessoas novas, compartilhamos experiências maternas e profissionais e me controlei para não ficar presa ao celular para ter informações a todo momento do meu filhote. Pedro, como dito antes, não me acompanhou, mas ficou muito bem acompanhado em casa.

O que eu tirei de conclusão desse dia: eu tenho uma vida. Eu e Pedro somos independentes (claro que ele depende de mim, mas bem menos que um recém nascido depende da mãe). Podemos ter programas diferentes em um mesmo dia e não serei menos mãe ou ele menos filho por causa disso. (as mães mais novinhas pode até achar um absurdo isso, mas calma, não me julgue, pois um dia já estive desse lado rs)

pedro com 1 ano e 6 meses

Pedro com 1ano e 5 meses

Resumindo, eu desejo a todas as mães, que sejam mães – ao mesmo tempo que são mulheres! Curtam intensamente esse momento maravilhoso da vida a “maternidade” , mas não se deixem esquecer que além de mãe você é mulher e pode ter vontades, caprichos e realizações de uma.

Eu levei quase 2 anos para perceber isso (acredito que seja um tempo razoável), e creio que tudo tem seu tempo. Não adianta uma mãe com um filho recém nascido ou de 5 meses ler isso que não irá se identificar muito bem, mas lembrem-se desse texto daqui um tempo. rs Que fique bem claro: eu amo ser mãe, amo a maternidade em si! Não troco essa minha vida de hoje por NADA desse mundo!

Vamos aproveitar nosso dia e que Deus nos abençoe nessa linda, incrível e trabalhosa tarefa de educar filho(s)!

Eu e Pedrinho com 1 ano e 8 meses

Eu e Pedrinho com 1 ano e 8 meses

Beijoooos e FELIZ DIA DAS MÃES!!!   

Esse texto faz parte do grupo “Mães e Pais Blogueiros”! E você pode conferir mais textos especiais sobre o Dia das Mães nos seguintes blogs:

Comentários

comentário